Clássicos: E o vento levou (EUA, 1939)

O motivo maior para se chamar um filme de clássico não é apenas que ele seja um filme antigo. Um clássico, por natureza, é aquele filme que, passando por diferentes gerações, permanece na cabeça das pessoas e sempre é lembrado, seja por seus méritos de linguagem, seja por sua exuberância técnica. Impossível pensar desta forma sem se lembrar de E o vento levou.


O maior filme de todos os tempos do cinema americano (é, até hoje, a maior bilheteria da história, atualizando os números pela inflação) merece por vários aspectos receber esta denominação; para começar, seu elenco grandioso tem diversas atuações que ficaram na história. Mas uma entre todas se destaca mais: Vivian Leigh, como Scarlett. A atriz, que aproveitou cada segundo deste que é o personagem feminino mais completo já escrito, entregou uma atuação tão maravilhosa quanto a história que está sendo contada. Vivian é perfeita como Scarlet em todas as suas nuances, seja as de drama, seja as de comédia. E o vento levou é um filme completo, que consegue caminhar entre diversos gêneros cinematográficos e não se perde em nenhum deles.

Como qualquer obra histórica, houveram as dificuldades. E o vento levou teve problemas sérios nos bastidores, e apesar de Vitor Flemming ter recebido o crédito da direção, pelo menos outros dois diretores passaram pelas câmeras durante a extensa filmagem. Se assistir E o vento levou é uma experiência magnífica, imagine o que terá sido realizá-lo, no longínquo ano de 1939. Esta saga épica teve grandes cenas em locação, ocupou estúdios imensos na era de ouro de Hollywood e foi coroada posteriormente com 10 mais do que merecidos prêmios Oscar, incluíndo um inédito de atriz coadjuvante para uma atriz negra, Hattie McDaniel, que representou a fiel escrava Mammy.

Mesmo passados mais de 70 anos, esta belíssima experiência do cinema permanece irretocável e inesquecível. Não é preciso comentar da história, afinal de contas, se você não a conhece já ouviu com certeza falar sobre. As quase 4 horas de E o vento levou são vitais para qualquer pessoa que se diz amante desta arte incrível que é o cinema. Este é o filme que faz valer a pena a jornada de qualquer cinéfilo.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crítica: Logan

Crítica: A Cabana

Crítica: A Bela e a Fera