Crítica: Entrando numa fria maior ainda com a família

A síndrome do terceiro filme atingiu também a saga da família Fornica. Mesmo contando com todo o elenco original e mantendo a química excelente entre Ben Stiller e Robert De Niro, Entrando numa fria maior ainda com a família (título ridículo escolhido pela distribuidora no Brasil) não consegue engrenar e acaba se tornando uma decepção.

Alguns críticos resolveram colocar defeitos no filme até onde não há. Para começar, muitos diziam que as crianças (no original, o filme se chama Little Fockers) não teriam muita relevância na trama do terceiro filme. Eu diria exatamente o contrário. A trama do filme gira em torno dos problemas enfrentados pelos pais Greg (Ben Stiller) e Pam (Teri Polo) para lidar com os filhos, os gêmeos Samantha e Henry. Para piorar, chegam a Chicago os sogros de Greg, e o enfermeiro terá novamente de lidar com o superprotetor e neurótico Jack Byrnes (Robert De Niro), ou entregar os pontos.

Se nos filmes anteriores o mais legal eram as situações constrangedoras que os personagens enfrentavam, aqui acontece o contrário: é constrangedor verificar como grandes atores como Robert De Niro e Dustin Hoffman tem que passar por situações ridículas - totalmente fora do padrão da série - que muitas vezes não seriam aceitas sequer por atores em ascensão. O desrespeito com os veteranos é tal que Hoffman mal aparece no filme, e seu personagem tem tanta relevância quanto borra de café no fundo de uma xícara. Lamentável.

A troca de diretor parece ter sido sentida. Não que Jay Roach seja um gênio, está longe de ser, mas o colega que assume a cadeira desta vez (Paul Weitz) tem em seu curriculum pérolas do nível American Pie e Cirque Du Freak - O aprendiz de vampiro, logo, dá para entender o motivo do resultado final não ter sido dos melhores.

O roteiro, além de não ser tão bem elaborado como o dos antecessores, ainda peca pela repetição: algumas piadas se assemelham desconfortavelmente ao que já havia sido mostrado anteriormente, e alguns personagens são adicionados a trama e não acrescentam absolutamente nada ao filme (não dá para entender o que Harvey Keitel está fazendo ali).

Se você está ansioso para assistir ao filme, não se contenha. Assista. Provavelmente ainda haverá um Entrando numa fria maior ainda com a família e os vizinhos, ou um Entrando numa fria maior ainda com a família, a empregada e o periquito. Faz parte do jogo. Mas a visita ao cinema vale a pena por Ben Stiller e Robert De Niro (inclusive nos créditos finais). Pena que desta vez os atores é que tenham entrado numa fria. E levado a platéia junto com eles.

Cotação: *

Comentários

  1. Ah, para. To louca pra ver! Não deve ser assim tão ruim!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Crítica: Logan

Crítica: A Cabana

Crítica: A Bela e a Fera