Review: Série Harry Potter

Hoje a noite estréia a primeira parte da derradeira saga do bruxo que devolveu para as crianças do mundo todo o gosto pela leitura! Harry Potter e as Relíquias da Morte - parte 1 é novamente dirigido por David Yates, que já havia conduzido os últimos dois episódios da série. Para os iniciados (será que ainda existe alguém que não conheça?), segue abaixo um pequeno resumo crítico dos filmes anteriores, com minhas cotações usuais. Protego!

HARRY POTTER E A PEDRA FILOSOFAL (2001)
O começo da saga de J. K. Rowling nos cinemas tinha tudo que os fãs poderiam querer: protagonistas infantis que eram a cara dos personagens do livro, grandes atores britânicos como coadjuvantes, um trilha sonora épica conduzida com perfeição pelo maestro John Williams, cenários que fizeram o castelo de Hogwarts ganhar vida na tela grande e um roteiro que era fiel a obra original. O filme foi um grande sucesso de bilheteria, e até hoje é o mais lucrativo da série.

Cotação: ***

HARRY POTTER E A CÂMARA SECRETA (2002)
Produzido às pressas devido ao envelhecimento evidente do elenco infantil, o segundo capítulo também dirigido por Chris Columbus manteve o espírito do antecessor mas pecou por não apresentar passagens importantes do livro. Foi a despedida do ator Richard Harris, que interpretava Alvo Dumbledore, morto depois do fim das filmagens.

Cotação: **

HARRY POTTER E O PRISIONEIRO DE AZKABAN (2004)
O melhor livro ganhou a melhor e mais elegante das adaptações para o cinema. Mudando de diretor pela primeira vez, a série ganha contornos mais adultos graças ao excelente trabalho de Alfonso Cuarón. O roteiro de Steve Kloves mais uma vez é eficiente, mas poderia ter privilegiado um pouco mais o arco importante para a história envolvendo os marotos. É o menor filme da série em duração, e também o que menos arrecadou nas bilheterias.

Cotação: ****

HARRY POTTER E O CÁLICE DE FOGO (2005)
Equivocado desde sua concepção, o quarto filme joga para escanteio o excelente trabalho feito no anterior. O roteiro é confuso, a edição é mal realizada e os atores mirins tem suas piores interpretações na série. Não fossem os incríveis trabalhos de Ralph Fiennes e Brendan Glesson, seria totalmente dispensável.

Cotação: *

HARRY POTTER E A ORDEM DA FÊNIX (2007)
David Yates conseguiu o que parecia impossível: condensar as quase 800 páginas do maior livro da série e realizar um filme coeso e envolvente, seja pela brilhante edição, seja pela presença inspirada de Imelda Staunton como a perversa Dolores Umbridge. Aqui, Harry Potter começou efetivamente a se tornar adulto.

Cotação: ***

HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE (2009)
Talvez o mais leve dos últimos episódios da saga. Investindo mais intensamente nos desencontros e romances do elenco adolescente, David Yates acabou se esquecendo do principal mote que conduzia a trama do livro: a apresentação das Horcruxes, fragmentos da alma de Voldemort que estavam escondidos em objetos de alguma forma especiais para o vilão. Apesar do bola fora, tem um roteiro bem construído a melhor fotografia de toda a série.

Cotação: ***

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crítica: Logan

Crítica: A Cabana

Crítica: A Bela e a Fera