Oscar 2010: comentários

Numa das cerimônias mais imprevisíveis dos últimos anos, vários pontos para a sensatez.

Eu realmente acreditei que Avatar venceria o Oscar devido ao grande sucesso de bilheteria que alcançou. Mas a Academia não se deixou cegar e premiou um filme de verdade, e não apenas um espetáculo visual sem alma.

Guerra ao Terror levou 6 prêmios - filme, diretor, roteiro original, montagem, som e edição de som - e mostrou ao mundo que o cinema precisa, sim, de grandes filmes com orçamentos milionários feitos sob medida para o público pipoca-refrigerante, mas que também aposta em filmes originais, corajosos e feitos com muito pouco (mas muito pouco MESMO) orçamento.

Errei algumas previsões - filme, atriz, fotografia, filme estrangeiro, som e edição de som - mas a única que realmente me deixou chateado foi a derrota de A Fita Branca na categoria de fotografia. Um trabalho genial e como eu havia dito anteriormente ao Oscar, seria um dos prêmios mais justos em anos. Mas neste caso, para prestigiar um pouco o filme de James Cameron, o prêmio foi entregue para Avatar.

Acredito que houveram ao menos 2 surpresas: a vitória do drama Argentino O segredo dos seus olhos na categoria de filme estrangeiro e do original Logorama na categoria de curta animado. Ambos os prêmios, no entanto, não são nem um pouco injustos, pelo contrário. Juan Jose Campanella já havia batido na trave com o excelente O filho da noiva, e, convenhamos, o cinema Argentino merece o reconhecimento pois tem produzido nos últimos anos uma obra prima atrás da outra. Quisera a produção brazuca fosse assim...

Up emocionou o mundo, de novo. O que foi aquela apresentação da trilha sonora do filme??? Um espetáculo coroado com o mais que merecido prêmio de Michael Giacchino.

A rainha das comédias românticas venceu a melhor atriz do cinema americano na atualidade. Sandra Bullock levou seu Oscar no mesmo ano que recebeu um Framboesa de Ouro. Mas vale um parênteses: alguém leva os Razzels a sério? Eu pelo menos não.

Fazendo um saldo dos últimos vencedores na categoria de melhor filme (Onde os fracos não tem vez, Quem quer ser um milionário? e Guerra ao Terror) vimos que finalmente a Academia conseguiu acertar, premiando REALMENTE um filme excelente (os vencedores nos outros anos citados deveriam ter sido Sangue Negro e Frost/Nixon). Que a tendência seja mantida.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crítica: Logan

Crítica: A Cabana

Crítica: A Bela e a Fera