1999: 10 anos

O ano de 1999 foi um marco na indústria cinematográfica americana. Sob vários aspectos. Comemorando os 10 anos deste ano histórico para o cinema ianque, seguem abaixo aquelas que considero as grandes contribuições à sétima arte que o ano de 1999 proporcionou. E esperemos que um ano como este se repita - em breve!

- Estreiantes com o pé direito
No ano de 1999, fomos apresentados a dois grandes talentos: Sam Mendes e Spike Jonze. O primeiro, oriundo do teatro; o segundo, dos video-clips. O que ambos tem em comum? Começaram suas carreiras no cinema com grandes filmes e indicações ao Oscar. "Quero ser John Malkovich" mostrou que era possível fazer cinema sem recorrer a temas óbvios. E "Beleza Americana" conquistou para Sam Mendes o Oscar de melhor filme e direção. Ambos são filmes memoráveis. Isso é que é estréia!

- Sexo. Subversão. Sabonete.
Clube da Luta era o filme certo na hora errada. Porque? Bem, a sociedade americana pré-11 de setembro não estava preparada para o filme de David Fincher. Memorável sob vários aspectos, o filme mergulha profundamente na mente masculina, expondo de forma crua os temores que algum dia e de alguma forma já estiveram presentes em nossa cabeça. Genial e inesquecível.

-Isso é uma coisa que acontece!
Sapos caíram do céu. E mostraram ao mundo o talento de Paul Thomas Anderson, que entregava seu segundo filme - Magnólia - e já mostrava um pouco do talento que iria aflorar ainda mais em sua mais recente obra prima, "Sangue Negro", realizado em 2007.

-Pra quem vou torcer neste Oscar?
Em muitos anos não se via uma disputa tão acirrada, e tão dificil. "Beleza Americana", "Regras da Vida", "O Informante", "A espera de um milagre" e "O sexto sentido" concorriam na categoria principal, e ainda haviam ficado de fora pérolas como "Quero ser John Malkovich", "Magnólia" e "Clube da Luta".

-Eu vejo gente morta!

"O sexto sentido" assombrou o mundo e lançou ao estrelato o diretor indiano M. Night Shyamalan, que começaria uma celebrada carreira. Hoje, mesmo tropeçando com filmes como "Fim dos Tempos", o diretor mantém seu prestígio e é mais uma jóia da turma boa de 1999...

- O retorno de Jedi
"A ameaça fantasma" - suposto episódio 1 de Guerra nas Estrelas, aportou nos cinemas com uma trama imbecil que misturava política, bloqueios econômicos e "midiclorens" (é assim que se escreve?). Apesar do sucesso de bilheteria, o filme de George Lucas amargou péssimas (e justíssimas) críticas e iniciou o que seria a pior trilogia da história do cinema. No melhor estilo Jar Jar Binks, entrou para a história. Mesmo que tenha sido da forma errada...

- Meninas que choram
Fomos surpreendidos pelo talento da até então desconhecida Hillary Swank, que em "Meninos não choram" entregou uma performance espetacular e que foi intensamente festejada e premiada. Nada mal pra quem começou em "Karate Kid 4"...

- Welcome to the Matrix
Com efeitos especiais inovadores e um roteiro mirabolante, "Matrix" se tornou uma febre mundial. Gerou duas continuações caça níqueis que acabaram não fazendo o barulho esperado, no entanto possui fãs ardorosos e se tornou um dos filmes mais copiados no cinemão recente.

- Um bonde chamado desejo
1999 foi o ano do melhor filme de Pedro Almodóvar, e que traduz seu amadurecimento profissional, buscado ao longo de sua extensa filmografia. "Tudo sobre minha mãe" é um filme memorável. E seu sucesso permitiu ao mundo conhecer Penelope Cruz e apreciar outras obras fantásticas do diretor, como "Fale com Ela". Não é um filme americano, mas foi agraciado pelo Oscar de filme estrangeiro, e por isso merece estar aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crítica: A Cabana

Crítica: Logan

Crítica: A Bela e a Fera